Casa Cor Bolívia 2016

Até 1994, o antigo colégio de religiosas Santa Ana funcionou como estabelecimento educativo. Agora, mais de duas décadas depois, volta a abrir suas portas para revelar os 29 ambientes de CASA COR Bolívia. A construção de estilo colonial é patrimônio histórico da cidade e iniciou suas atividades em 1982. Durante a restauração, que consumiu cerca de meio milhão de dólares, foram revelados elementos originais da capela, alguns ladrilhos e outros detalhes da edificação que inspiraram os 37 profissionais participantes, incluindo a brasileira Giovana Murta, arquiteta radicada na Bolívia.
A partir desta tela em branco, que já guardava muitas histórias, foram criados salas, cozinhas, lofts, lojas, uma penthouse e mesmo uma casa contêiner. Tudo distribuído em 2.500 m², caracterizando a edição mais ambiciosa da mostra em seus quatro anos, dirigida pelo franqueado Pie Derecho (Quito Velasco, Graciela Anglarill, Fred Breede e Elizabeth Castro).
Um destaque é a capela convertida em galeria de arte, para exibir 34 obras de artistas locais. Entre as tendências, os pisos geométricos estão em alta, assim como as texturas naturais e as misturas de estilos: o vintage conversa com o sacro, o neoclássico dialoga com o moderno e, assim, os espaços vão sendo desenhados de acordo com o que há de mais atual em lançamentos e ideias inteligentes, sem perder de vista as particularidades do lugar.


Sala Principal - Rocío Rodríguez Zambrano. Peças em madeira de grandes proporções, como a mesa de centro e esculturas gigantes no mesmo material, de Diego Gil e Vanessa Mercado, conduzem a combinação de cores neutras.
Cozinha Principal - Roberto Franco e Tassiana Oshiro. A dupla trabalhou com o neoclássico, citado na bancada em mármore e no clima imponente do resultado, mas com intervenções contemporâneas. Repare na mescla de estampas de vegetais para quebrar a hegemonia do branco e preto.
Confraría - Giovanna Murta. A arquiteta brasileira que vive há dez anos na Bolívia assina o ambiente, que faz alusão a um clube privado, pensado para reunir amigos. Colonial e moderno dialogam, deixando sobressair o desenho impactante do piso e do mobiliário de design. Outro detalhe interessante: o efeito da iluminação que vem da parte de baixo das mesas.
O Bom Gourmet - Marcelo Parejas Terrazas e Carlos Alberto Parejas. O grafite retrata a dupla de profissionais degustando um pescado. As luminárias rústicas são exclusivas, criadas com ráfia, palha de milho e pimentas desidratadas.
Loft de uma Mulher - Milagro Lecuona de Prat e Claudia Patricia Barrón. A dupla apostou em materiais nobres e texturas naturais, para que a sensação dominante fosse o aconchego. A madeira foi utilizada em sua forma mais rústica, bem como as paredes em cimento. A escada se destaca pela leveza, conduzindo ao mezanino onde se localiza a suíte, aproveitando ao máximo a área disponível
Loft Metálico - Alejandra Iriarte. Tons e texturas metálicas entram em cena, como o cobre e o ouro. A automação é pensada para uma maior comodidade no uso de luzes, som e climatização. A arquiteta Valeria Iriarte enfatizou a dimensão do ambiente ao trabalhar com o desenho horizontal das mesas. Ela também assina as peles em metal cortadas à laser, que imprimem uma sensação tridimensional ao espaço.
Atelier do Designer - Alejandra Reyes, María Belén Moreno e Verónica Melgar. Criativos e funcionais, os objetos que dão vida ao espaço vêm com a intenção de inspirar. Observe a imponente luminária, composta de 16 lâmpadas.
Tenda CASA COR. O espaço foi projetado para destacar os objetos expostos, em um pano de fundo exuberante que combina o piso gráfico e cestos de flores pendentes. Entre as peças exibidas estão livros de arquitetura e as famosas vacas “Cow Parade”. 
Jardín Central - Marcela Montes e Ingo Betram. Quando cai a noite, as mais de cem lâmpadas que pendem da árvore são acesas. Alguns bancos em troncos naturais se transformam em local de descanso e contemplação.
Capela -  É um dos espaços mais representativos do colégio Santa Ana e foi recuperada pela equipe de CASA COR. A primeira ação foi unificar o ambiente, que estava compartimentado em várias pequenas lojas, desde um estúdio fotográfico até um estúdio de tatuagem. Assim, descobriram sua verdadeira estrutura. Destaque para os três lustres com mais de 30 mil cristais cada, que enobrecem o ambiente utilizado para exposições, desfiles, coquetéis e outros eventos.
CASA COR BOLÍVIA 2016 terminou dia 07/05/16
 Obrigada pela visita

Comentários

Instagram @denainteriores

Postagens mais visitadas