Casa Cor Goiás 2016

Uma construção antiga e cheia de memórias. Algumas não tão agradáveis, pois tratava-se do primeiro posto de saúde de Goiânia, no centro da cidade. Talvez por isso mesmo o contraste com o tema da mostra deste ano, Celebrar, traga uma personalidade tão forte e interessante aos 36 ambientes projetados por 51 profissionais, sob o comando das arquitetas Eliane Martins e Sheila Podestá.
Os 3 mil m² valorizaram a arquitetura e os elementos originais, que incluíam paredes de tijolos, pé-direito alto e outros detalhes charmosos desvendados ao longo da reforma. Uma curiosidade: o prédio é dos únicos na região que não segue o típico estilo art déco da época. Além de atualizar a estética, as transformações enfatizaram o conceito de sustentabilidade, com soluções que vão desde o uso de LEDs na iluminação até a substituição de ar condicionado por ventiladores ou tetos verdes, geração de energia solar e torneiras inteligentes.
Piano et Vin – Milena Niemeyer. A parede principal foi laminada com um ébano rosso cintilante. Por isso mesmo, o piso tem pouco brilho e recebe o tapete Ziegler.


Lounge – Carine Rocha. O ambiente se integra à varanda, onde o trabalho de marcenaria no teto cria molduras de madeira para a tela de palha natural. Neste hall de entrada, as duas poltronas Esfera, de Ricardo Fasanello, são protagonistas. A mesa laqueada com tampo de espelho serve de apoio para adornos de murano, prata e cristais.
50 tons urbanos - Giovanni Borges. Este ambiente masculino é inspirado em um morador cosmopolita, sofisticado, que gosta de ambientes integrados.
Loft Fazenda – Mariela Romano. A profissional integrou home Office, estar e varanda, inspirada no conforto das casas de fazenda. A meio caminho do rústico e do requintado, aposta na escultura em aço corten e na estante com nichos assimétricos, desenhada por ela própria. No piso, o porcelanato claro.
Casa da Dina – Flávia Araújo, Juliana Resende e Ednara Braga. O conceito industrial inspirado em lofts nova-iorquinos contribui para criar um projeto que preserva a estrututa do espaço. O tijolinho, por exemplo, é parte da construção original do prédio e foi exposto como obra de arte. O assoalho em madeira de demolição, tubulação de cobre aparente e revestimento cimentício afirmam o estilo.
Quarto da Rainha – Alexandre Milhomem. Em visita ao Palácio Real da Família Sueca, em Estocolmo, o arquiteto atentou para a beleza da propriedade e a tomou como inspiração - o que incluiu a reação positiva da Casa Real Sueca para homenagear a rainha de sangue brasileiro, Silvia Renata Sommerlath. Pendentes, arandelas em cristais, molduras em folhas de ouro, tecidos em veludo e carpete no piso compõem uma ambientação nobre. O mobiliário de linha clássica foi confeccionado de forma artesanal.
Studio 03 – Pedro Ernesto Gualberto e Leandra Castro. O toque de sofisticação fica por conta do mobiliário assinado por renomados designers como a poltrona Grand Repos, desenhada pelo italiano Antônio Citterio e poltrona Duas Voltas by Ruy Ohtake, em aço carbono com couro estonado.
Lounge 20...30... – Meire Santos. O banco M. Santos é a peça-chave, em diálogo com a escultura iluminada em cobre do artista brasileiro Gianotti.
Refúgio do Benjamim – Karla Cristine Oliveira. O homenageado do espaço é Sérgio Rodrigues, um dos nomes que contribuiu para tornar o design brasileiro conhecido mundialmente, com a poltrona Benjamim, sua última criação. A peça vem acompanhada de outros itens assinados, como o carrinho Totó, de Isay Weinfeld; a cadeira giratória Sherlock, de Etel Carmona; a poltrona Palito, de Paula Gontijo e Danilo Lopes; além do lustre italiano Caboche, das designers Patricia Urquiola e Eliana Gerotto.
Cozinha – Aline Torres e Thiago Cardoso. O ambiente de 26 m² ganhou toque nostálgico ao combinar o clássico e o vintage, inspirado nos espaços culinários das décadas de 1970 e 1980. O que chama a atenção são as tonalidades vibrantes de azul.
Sala de Banho – Eduardo Bittar e Karla Bittar. O espaço foi pensado como um refúgio. Na escolha dos acabamentos foram priorizados materiais naturais, ecológicos e sustentáveis, como réguas e lâminas de bambu no piso e no teto. A bancada tradicional dá lugar a uma mesa de madeira onde são apoiadas as cubas, abajures e alguns outros objetos. No mobiliário, destaque para a poltrona Oscar, de Sérgio Rodrigues; o Banco Trinco, de Lia Siqueira; além da série de fotografias do Amazonas, da artista Adriana Bittar.
Pátio das Tamareiras – Marden Rezende e Joana Monteiro. O projeto trabalha o conceito de humanização do espaço urbano cercado de concreto, convidando o visitante a escutar o barulho da água, descansar à sombra das árvores e observar as orquídeas.
Jardim dos Jasmins – João Paulo Florentino. O paisagista cuidou deste espaço de 104m² e utiliza a técnica da topiaria para moldar algumas plantas ao deck. O balanço em macramê é destaque.

CASA COR GOIÁS 2016
Local: Rua 30 esquina com Avenida Tocantins, Centro - Goiânia-GO
Período: 12 de maio a 22 de junho de 2016
Obrigada pela visita

Comentários

.

.

Postagens mais visitadas