Casa Cor Rio de Janeiro 2016

A mostra transforma o imóvel de estilo eclético conhecido como “casa rosa” pertencente à família Rocha Miranda. Durante quase 40 anos, a residência na Gávea foi lugar de receber amigos em grandes comemorações - tudo a ver com a celebração de 30 anos de CASA COR.
Os novos anfitriões desta festa são 67 dos melhores profissionais cariocas, que assinam 45 ambientes localizados nos 1.000 m² de área construída ou no terreno de 5.000 m², ocupado em parte pelo enorme jardim assinado por Burle Marx. Embora tradicionalíssima, a casa serviu de base para projetos que expressam o atual estilo de morar do carioca, com soluções na medida para a vida real - preocupações como espaços reduzidos, sustentabilidade e praticidade estão na ordem do dia.
Tendências
Algumas ideias-chave pontuam a diversidade de projetos. O aproveitamento de cada centímetro quadrado é fundamental, em ambientes de apenas 8 ou 10 m², além da aposta em novos métodos construtivos, com bambu, madeira e vidro, em casas transportáveis e mais sustentáveis. A vida dinâmica ainda requer ambientes multifuncionais. Outra exigência são espaços de apelo sensorial, que inspiram a contemplação e a tranquilidade, bem à moda antiga. Aliás, o momento é dos jardins e de estar ao ar livre, apostando na inspiração modernista do mestre Burle Marx.


Varanda - Maurício Nóbrega. Em formato de L, a varanda-spa com piscina segue pela lateral direita da casa. Com ducha e um deck, sintetiza o estilo de morar do carioca e atualiza o uso de uma construção tradicional. O lounge com sofá e poltronas Interni e Tidelli privilegia tons suaves, com interferências de cores nas almofadas e na obra de arte.
Living - Paola Ribeiro. O living de 42 m² é a porta de entrada, e a arquiteta expressa sua característica mistura entre clássico e contemporâneo. A cômoda portuguesa em madeira clara acetinada e peças do antiquário Arnaldo Danemberg conversam com móveis de Jader Almeida e Pedro Useche. Eles assinam, respectivamente, as mesas laterais Vinte e Ville e as poltronas RA40 na cor preta. Tudo da Arquivo Contemporâneo. No centro do living, três luminárias PEN, de Jader Almeida, em alturas diferentes.
Sala de Jantar - Gisele Taranto. Além de sala de jantar, a arquiteta pensou em um espaço com outros usos, como trabalhos e encontros. Por isso, apostou na mesa Steel, de Fabrício Roncca, e no clima despojado criado pelas banquetas-mesas Araripe, de Flávio Borsato e Maurício Lamosa. O buffet Nova, de Bruno Faucz, também é multifuncional. Os móveis são todos da Ovoo.
Family Room - Fábio Bouillet e Rodrigo Jorge. O minimalismo italiano se revela no espaço com poucos móveis e vazios intencionais. O ponto de equilíbrio é a parede que recebeu revestimento flexível em pedra, da Lantai. Ela se funde com o sofá com pufe Maddox, da Artefacto, ambos na cor cinza. No chão, o tapete foi desenhado pelos arquitetos para a Santa Mônica. Com projeto da Light Design+Exporlux, a iluminação principal se dá por uma grande lona tensionada (Tensoflex) acima do sofá.
Espaço José Zanine Caldas - Zanini de Zanine. No hall do primeiro andar, o designer exibe pela primeira vez a reedição que o Studio fez de peças da Linha Z, que José Zanine Caldas realizou entre 1949 e 1955. Desde essa data, os móveis estavam fora de produção. As duas poltronas Kid em madeira maciça e estofado em veludo vinho celebram o relançamento da linha.
Copa Íntima - Cláudia Santos. O segundo andar do casarão é a área íntima da família, e este espaço é um apoio para pequenas refeições. Inspirado na Nova Inglaterra e no estilo da arquitetura e do design do Maine, é lavado com tons nude e decorado com objetos e acessórios em cobre. O piso foi produzido em madeira e cerâmica.
Sala da Malu - Joy Garrido. Neste misto de escritório, sala íntima e quarto de vestir, a inspiração foi o estilista Guilherme Guimarães, o preferido das noivas e um símbolo e elegância nos anos 1960. Suas peças são expostas no ambiente com marcenaria em tons de pink. Ela contrasta com elementos turquesa, como a poltrona Trick, lançamento de Jader Almeida, da Finish.
Sala de Banho - Marta Guimarães e Daniele Faraco. A dupla inova ao transformar em móveis elementos normalmente fixos no banheiro, como a bancada com estrutura em metal da Lacca e a banheira da Sabbia. Eles podem ser facilmente deslocados em caso de mudança de endereço, normal em uma vida dinâmica. Na cartela de cores, a natureza fornece os tons, como o verde dos jardins de Burle Marx, o azul do céu e do mar, o cinza claro da areia de praia. A parede do box foi revestida com seixos.

Adega - Jacira Pinheiro. No subsolo do casarão, a adega original tinha paredes e teto abobadado em tijolos maciços, além do piso em tábua corrida que surpreendeu na restauração. Com esta base, os 18 m² exigiram poucas e boas intervenções, apenas para ganhar funcionalidade. Peças contemporâneas conversam com objetos do antiquário Arnaldo Danemberg. A iluminação é pontual, em peças como a arandela Delight de Ingo Maurer.
Sala de Receber - Erick Figueira de Melo. O espaço gourmet foi desenvolvido pela SCA, a partir do desenho de Erick. A textura natural das pedras dialoga com o jardim, logo ao lado, integrado pelos janelões em vidro.
Lounge do Cachorro - Cristiana Mascarenhas e Mariana Mascarenhas. Os pets ganham um cantinho especial para relaxar depois da caminhada e receber todos os mimos. O elemento vazado, da Solariam, tem referência na arquitetura modernista, junto ao tablado forrado em grama sintética com comedouros embutidos. O balanço tem desenho exclusivo do Mula Preta Design. Já a estante guarda brinquedos e apetrechos caninos, ao lado da banheira de prata.
Sala de Almoço - Marise Marini. Tudo remete ao aconchego, como paredes revestidas em tijolo aparente e piso vinílico com aparência de madeira. O mobiliário mistura a poltrona Scapinelli, de Giuseppe Scapinelli; cadeiras francesa em faia e palhinha de meados do século XIX; e mesa brasileira centenária em peroba do campo. A iluminação de Giani Faccini tira proveito do teto mantido em laje para criar trilhos e pendentes em alturas diferentes acima da mesa.
Empório Orgânico - Tiana Meggiolaro e Bia Lynch. A dupla fez uma imersão no Spa Lapinha, fundado em 1972 no Paraná. Das antigas árvores do Spa veio a “barba de bode” que forra o teto. A parede do fundo parece pedra, mas é um revestimento à base de cimento da Covering. O toque de cor está no mix de almofadas assinadas por Nunuca. Os futons são de tecidos que reutilizam garrafas pet, da Eco Simple para a Trama Casa.
Lab Café - Carolina Escada, Patrícia Landau, Carolina Lerner, Gabriella Mello e Sabina Kalaoun. O espaço começa pelo living com sofá Loft, da Finish, poltronas Lisboa de Amelia Tarozzo, mesas de centro e laterais de Luia Mantelli e Lattoog. No piso elevado, o imenso sofá para degustação fica super confortável com almofadas de estampas étnicas da Cortinaria. A decoração se completa com a cestaria da Nannacay, que abriga mudas de café.
QUANDO?
11 de outubro a 20 de novembro de 2016
Terça a domingo das 12h às 21h
ONDE?
Rua Marques de São Vicente, 268 – Gavea (Residência Celso Rocha Miranda)
Obrigada pela visita.  

Comentários

.

.

Postagens mais visitadas